quinta-feira, 28 de maio de 2009

COMO ENCONTRAR AS ESTRELAS?

Para uma qualquer alma perdida que cá venha e queira saber como encontrar as estrelas que aparecem no vídeo, cá vai uma tentativa de explicar alguma coisa...


SOL

Sem comentários, não é?

SÍRIO

Alpha Canis Major. Por esta altura do ano não dá para a ver. Como os dias são mais longos e penso que Sírio desaparece no horizonte perto das 20h, o seu espectacular brilho fica ocultado pela claridade do dia. É a minha estrela preferida, com a concorrência apertada de Capella... :)
Pertence à constelação de Cão Maior.

POLLUX

Beta Geminorum. Ainda dá para a ver ao início da noite. É difícil explicar a localização, mas quem souber encontrar Orion (em baixo, à direita), consegue deduzir a posição relativa de Pollux. É uma das cabeças dos Gémeos.

ARCTURUS

Alpha Bootis. Sabem encontrar a Ursa Maior? Não? Então é mais difícil explicar... Mas perto da meia-noite, por esta altura do ano, levantem a cabeça. O ponto mais alto do céu sobre as vossas cabeças é o zénite. Arcturus vai estar lá por perto... É um ponto bastante luminoso, pouco cintilante, de cor laranja-avermelhada. É fácil de encontrar...

RIGEL

Beta Orionis. Nesta altura do ano é para esquecer, mas é visível durante o Inverno e fornece um espectáculo maravilhoso. É a Estrela mais brilhante de Orion e a sétima mais brilhante do céu. Vêem o "Orion's Belt" na imagem em cima? É a Estrela à sua direita.

BETELGEUSE

Alpha Orionis. É maior que Rigel, mas tem um brilho variável. É uma das maiores Estrelas conhecidas. Também é para esquecer nesta altura do ano. Vêem o "Orion's Belt" na imagem em cima? É a Estrela à sua esquerda.

ANTARES

Alpha Scorpii. Já postei uma foto da constelação de Escorpião há pouco tempo. Reina a Sul no Verão e é uma constelação imponente. É fácil de encontrar se olharmos para o sítio certo. Olhem para Sul perto da meia-noite, até às 4h ou 5h da manhã, e procurem a imagem que publiquei há dias. Numa zona pouco iluminada, é impossível falhar.
Antares também é conhecida como Cor Scorpio, por ser muito vermelha e por ser o coração do Escorpião.

MY CEPHEI

É uma hipergigante vermelha, a cerca de 5 mil anos-luz da Terra. Está na constelação de Cefeu, o que possivelmente a tornará visível da Terra, mas ainda não a encontrei. Também ainda não a procurei. Mas vou fazâ-lo...

VV CEPHEI
É 632 700 000 maior que a Terra... Tal como MY Cephei, ainda não a encontrei, mas sei que se encontra entre aquela e Polaris. Estão apontadas a Norte. Tenho tarefas a breve prazo para fazer... encontrá-las!

quinta-feira, 21 de maio de 2009

COMO ENCONTRAR OS PLANETAS?

No seguimento do post anterior, em que aparecem uma data de Corpos Celestes, Estrelas e Planetas, dou hoje umas dicas a quem porventura ler isto e se interessar por encontrá-los a olho nu. Depois esclareço quaisquer dúvidas.

MERCÚRIO
É muito difícil de se ver por estar sempre muito perto do Sol, mas esporadicamente acontece. Quando souber de alguma boa oportunidade para se ver deixo aqui.

MARTE
Nesta altura do ano, surge no nosso céu muito pela manhã e não é fácil de ver. Há 2 anos era facilmente detectável pois estava na constelação de Touro e era um ponto vermelho parecido com uma Estrela, mas não-cintilante e avermelhado. Tal como Mercúrio, quando se tornar facilmente observável a olho nu, aviso.

VÉNUS
Por estes dias, surge no nosso céu por volta das 5h ou 6h da manhã, muito a Este. Não são horas decentes, mas para quem estiver acordado, é espectáculo garantido. É impossível de confundir, só Júpiter brilhará tão intensamente. Vénus é a Jóia do Céu por algum motivo...

TERRA
Por enquanto ainda se vê bem do Espaço, mas à velocidade com que a estamos a destruir, qualquer dia passa a ser um ponto cinzento em vez de azul. Pensem nisto.

NEPTUNO
Esqueçam, se não tiverem telescópio.

SATURNO
O mais fácil de distinguir a horas normais. Lá para as 21h/22h deve olhar-se para Sul e procurar uma imagem semelhante a esta no Céu:
Será uma constelação grande, que ocupará grande área no Céu. As Estrelas que formam o "dorso" do Leão, as 4 ou 5 que fazem uma espécie de semi-círculo, são as mais visíveis. Saturno será o ponto mais ou menos localizado no ponto amarelo aqui da imagem. Ao vivo é mais fácil de explicar... Mas primeiro é procurar a constelação. Ver Saturno é outro passo.

JÚPITER
Imperdível para quem se deita tarde por esta altura. Por volta das 3h ou 4h já reina no Céu! Brilha mais que uma Estrela, muitas vezes pode ser confundido com um avião. A essa hora surge a Este.

terça-feira, 19 de maio de 2009

UMA NOÇÃO DE GRANDEZAS

video

Depois coloco a que constelações pertencem as Estrelas que aqui aparecem...

Com isto fica-se com a noção da nossa pequenez.

PS - As distâncias são o diâmetro de cada corpo.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

O SEMEADOR DE ESTRELAS

O "Semeador de Estrelas" é uma estátua que está em Kaunas, Lituânia.
Durante o dia pode até passar despercebida, como mostra a foto.
Um bronze a mais, herança da época soviética:
Mas quando a noite chega, a estátua justifica seu título.
Com a escuridão seu nome passa a fazer sentido.
Vejam então a foto tirada à noite: Brilhante. E delirante.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

A ILHA DAS CORES

Diálogo entre a Cantilena e um tipo que lá estava que não sei o nome:

- A Lua e as Estrelas são lindas, não são?
- Sim, muito lindas... De que são feitas as Estrelas?
- São feitas de sonhos. Por isso é que só as vês à noite, quando toda a gente está a dormir...
- Não sabia...
- E algumas vão à procura dos sonhos das pessoas! Por isso é que andam de um lado para o outro. Quando vires uma, pede um desejo...
- Que lindo! E a Lua?
- A Lua é feita de gelatina. Por isso é que lá vai um homem de vez em quando dar uma trinca, mas depois há alguém que a vai encher de gelatina outra vez!
- Oh, não acredito...
- Tens razão, estava a brincar...

Comentário meu: no que toca às Estrelas é verdade...

segunda-feira, 11 de maio de 2009

UMA NOITE GLORIOSA

Finalmente uma noite de observação em condições. Foi de Sexta para Sábado, que nos 2 dias seguintes as nuvens não deixaram.
2h da manhã
Um Ponto de Luz estava à esquerda da Lua, que irradiava um brilho espectacular por todo o céu, mas que eliminava as Estrelas nas suas redondezas.

Deve ser Antares. Pela hora...

Procurei o resto da constelação mas não vi. Continuei à procura e pensei que não valia a pena insistir.

2h15
- Carlos, qual é aquela Estrela brilhante ali em cima?
- É Arturo, vê-se pelo brilho. Aqui atrás tem de estar a Ursa Maior e ali à frente atrás do prédio tem de estar Spica. "Dobre-se até Arturo e corra até Spica."

Cabeça para cima, Ursa lá no alto. Espreitadela para Sul, atrás do prédio, Spica sozinha.

- Virgem é uma constelação de Estrelas débeis. Só se vê Spica...

4h45
Com o cão pela trela, olho para o céu. A deslumbrante simplicidade do Triângulo de Verão faz-me companhia e procuro mais amigos... Eis Júpiter!

És tão grandioso...

Colo a olhar. Espreito a Lua, já brilha menos.

Era Antares!

Agora vejo o Escorpião por inteiro e tenho a prova!
"This is Spartaaa!"
- Se calhar era o Ponto de Luz que eu vi!
- Não, Antares é vermelha, não brilha assim... Viste Júpiter!
"This is Spartaaa!"
- O expert és tu... :)

Mudei para uma conversa menos astronómica e sorri. Não sou expert, apenas faço por compreender as Estrelas... Estou tão longe de o ser! Nunca o serei! Quanto mais se sabe sobre o Espaço, mais se tem a noção do que não se sabe...

5h10
Outro cão.

Que Estrelas são aquelas?

Tão pouco brilhantes, semi-escondidas pelas nuvens... Aí fui eu a pensar e a olhar para elas...

Será possível que eu não vos conheça? Tenho de conhecer...

Continuei a pensar até que me senti estúpido. Como é que eu não reconheci Cassiopeia à primeira? Não vi Ruchbah, o joelho. Caph, Schedar, Segin e Delta Cas estavam lá, faltava a outra. As nuvens traíram-me, mas por pouco tempo.

Andrómeda, Perseu, e outras mais estarão para chegar...

sexta-feira, 8 de maio de 2009

O VERÃO ESTÁ A CHEGAR

Apesar das noites não estarem ainda a ser típicas noites de Verão, os indícios de ele estar a chegar começam a ver-se.

Aqui há tempos, numa conversa, eu disse que tinha um péssimo sentido de orientação pelas estradas, mas se olhasse para o céu e ele estivesse limpo saberia sempre em que direcção caminhar e em que altura do ano estava. Claro que se riram de mim, não sei se de gozo ou de espanto, mas o que eu disse é verdade.

Ontem à noite ia a passar junto ao Centro Multimeios de Espinho (aquele sítio é tão bom, que até junto dele se têm visões maravilhosas), e olhei para Este. Visão maravilhosa, todo o Triângulo de Verão ali, imponente, a olhar para mim. Disponível para quem quisesse olhar para Ele. À espera de quem quisesse olhar para Ele.
Vega, a primeira Estrela a aparecer no fim do Inverno. Deneb, um pouquinho mais a Norte. E Altair, a teimosa que demora sempre mais que as outras, mas que nem por isso respeito menos.

Olhei para o relógio. Marcava 1h24 da madrugada. Fiquei contente porque já consigo ver uma das mais belas figuras do céu nocturno no seu esplendor (quase) todas as noites, mas triste porque perco aquela magia de procurar, até há umas semanas Deneb, e nos últimos tempos Altair, quando venho passear os cães mais tarde que o normal.

Mas vi que o Verão está a chegar, e isso é bom.

Ao contrário do que se costuma fazer, olhar para o calendário e procurar as Estrelas consoante o que ele nos diz, proponho que se olhe para as Estrelas e se saiba o que se vai ver posteriormente no calendário...

quinta-feira, 7 de maio de 2009

OPACO

Foi assim que me senti ontem. Opaco.
Senti que tudo em mim era opaco. Não devo ter sido muito boa companhia a quem teve de me aturar ontem à noite. Será possível que o meu estado de espírito à noite esteja relacionado com o céu nocturno?
Não quero acreditar que a minha ligação ao Espaço seja tão grande assim, mas o que é certo é que o céu ontem estava... opaco. Ao fim da tarde vi a Lua aumentar o seu brilho à medida que a noite caía, e pensei que seria mais uma noite gloriosa em que iria olhar para Oeste e veria Orion a ir dormir, e que iria olhar para Este e Vega já lá estava à minha espera a mostrar um vértice do Triângulo de Verão! Mas não... Saio de casa para tomar café e, como de costume, olho para cima. Como estava o céu? Opaco. Faltou algo em mim. Perdi alegria. A que me restava.
E o resto da noite foi um bocado estúpida, até o meu Pilar se assumir como tal.

terça-feira, 5 de maio de 2009

UM NOVO RUMO

Hoje olhei para as Estrelas e dei por mim a pensar neste blogue. Criei-o para quê? Para ser mais um repositório de informação a juntar aos muitos que há na net? Com certeza que não. O objectivo inicial era eu transpôr para aqui os meus pensamentos, ideias e sentimentos, relacionados com algo que faço diariamente: as minhas observações do Cosmos.

Por isso, decidi tomar um novo rumo. Nada me impedirá de fazer aqui as descrições que tenho feito dos nossos eternos companheiros Astros, mas sem regras. Afinal de contas, este espaço é meu e sou eu que mando aqui! Haja alguma coisa na minha vida em que eu tenha mão...

Há horas em que é bom ter fome. Aconteceu-me isso durante mais um episódio do Dr. House, mas só quando acabou me levantei para comer. Apeteceu-me pão fresco, e aí fui eu à padaria. À ida para lá nada me despertou especialmente a atenção, mas à vinda para cá reparei na Lua a Oeste. Estava sozinha... E pensei como ela é errante, nunca estando perto das mesmas Estrelas todos os dias. Ainda há 2 ou 3 dias estava com Castor e Pollux junto dela, os 2 Gémeos ali pertinho! Hoje já nem os vi, já estavam muito em baixo no horizonte... Vai daí, nem valeu a pena procurar Capella. A minha Capella...


Tem um brilho tão bonito, tão especial... por mais que goste de algumas Estrelas, só Sírio me fascina como Capella. Por mais mórbido ou macabro que possa parecer, não há dia em que não olhe para Capella e não pense "É para lá que quero ir quando morrer...". Quero estar lá, eternamente a zelar por quem eu amo e por quem me ama. Sempre próxima da inseparável Menkalinan, Capella brilha quase todas as noites ao longo do ano. Por estúpido que possa parecer, gosto mais de a ver a Este, quando vem anunciar o Inverno. Não pelo Inverno, eu sei, mas também não sei por que gosto mais dela aí! Talvez por ser bom vê-la aparecer ao início da noite, quando já sinto saudades da sua companhia.