segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

JÚPITER

Júpiter é o maior dos planetas do Sistema Solar.
Durante muito tempo tivemo-lo no nosso céu nocturno, e ainda é possível vê-lo nos finais de tarde, um pouco mais a Sudoeste de Vénus. É um ponto menos brilhante do que Vénus, que se distingue de uma estrela por não cintilar, tendo um brilho constante.

É o 5º planeta a contar do Sol, o primeiro da categoria dos planetas gigantes.
Distando de nós de cerca de 4,20 U.A., demora 11,86 anos a dar uma volta ao Sol. Para se ter uma ideia da sua enormidade, tem um raio de quase 71500km, mais de 11,2 vezes o raio da Terra! Apesar de ser um planeta menos denso que a Terra, tem uma massa absolutamente brutal, de mais de 318 vezes a massa da Terra.
Júpiter tem uma velocidade de rotação gigantesca, dando uma volta sobre si mesmo em apenas 0,41 dias (9,93 horas!).

Io é o ponto preto, e tem o tamanho da nossa Lua... É fácil ver a grandeza de Júpiter!

Tem 63 luas conhecidas (serão com certeza mais...), sendo o planeta do Sistema Solar com mais luas, com algumas a serem mais significativas que as outras (Io, Calisto, Europa e Ganimedes são as mais importantes e conhecidas), mas isso será tema do próximo post.
A força da gravidade em Júpiter é de 2,6G (1G é a força da gravidade na Terra). A temperatura média à superfície é incomportável ao Homem, -150ºC.

Júpiter tem um núcleo rochoso e gelado, envolvido por hidrogénio metálico líquido. A pressão faz com que o hidrogénio se divida nos seus protões e electrões, conduzindo electricidade como um metal. Acima desta camada, existe uma de hidrogénio e hélio moleculares.
As suas nuvens coloridas arrastam-se pelo planeta porque a velocidade de rotação é muito grande.


Uma característica peculiar de Júpiter é a Grande Mancha Vermelha, uma tempestade permanente colossal, com cerca de 25000km de comprimento e 12000km de altura. A sua coloração vermelha pode ocorrer devido à presença de moléculas orgânicas ou devido à presença de fósforo vermelho aspirado pelas correntes de gás na atmosfera.

As manchas claras e escuras apresentadas na superfície de Júpiter são outras tempestades.
Há as chamadas ovais brancas (nuvens frias na atmosfera superior) e as ovais castanhas (nuvens mais quentes na camada normal de nuvens.

NOTA: Por lapso, não estava a permitir comentários a utilizadores anónimos. Já alterei as definições, qualquer pessoa pode comentar.

2 comentários:

Nádia disse...

A imagem de IO em relação a Júpiter é mesmo impressionante... Mostra bem a grandeza deste planeta em relação à nossa terra.

PS- Agora já podes fazer as tuas próprias observações! :)

Carlos Capela disse...

Sabes que isto de ter um telescópio tem que se lhe diga... ;)