quarta-feira, 21 de março de 2012

ERUPÇÕES SOLARES - 4


E que tal concluir o assunto das erupções solares com um vídeo demonstrativo do poder de uma erupção?
Ocorreu em 24 de fevereiro.

Repare-se no filamento magnético que é expelido e a onda gigantesca de material solar que se espalha à superfície, tal e qual um tsunami. A onda tem cerca de 400 000 km de extensão.
Nestes 20 segundos estão representadas cerca de 6 horas na realidade.


4 comentários:

Tiago Rebelo disse...

Penso que a terra não estará em perigo, pelo menos com o tipo de emanamento normal de ondas de matéria solar que são lançadas pelo sol para o espaço que deve atingir distâncias pouco prováveis de vir a atingir a terra no seu grau mais elevado. Mas já esta imagem que foi captada e por sinal difundida na net, já pode ser considerável e constituir perigo para a terra uma vez que atinge os 400 mil km de distância...No entanto não sendo uma das minhas áreas exploradas o sol, estou um pouco indeciso de a minha teoria ser verdadeira, levando em conta que a terra fica à distância de 150 milhões de km do sol, o que sustenta a minha pouca convicção em afirmar convictamente no que estou a dizer. Agora só o professor Carlos Capela :) pode-me tirar as dúvidas... Haverá ondas solares que constituem ameaça superior a esta registada? Esta do vídeo do teu site é comum?

Carlos Capela disse...

Atenção que os 400 000 km não são na direção do Sol à Terra! São de extensão ao longo da superfície do Sol... No entanto, sim, os efeitos desta explosão no Sol fazem-se sentir aqui na Terra, embora de uma forma menos...catastrófica! :)

Sim, há erupções solares mais perigosas. Quanto maior a magnitude da explosão, maior o risco para nós. É que nós somos mesmo débeis... um dia destes faço um post sobre rajadas de raios gama ou explosões de supernovas. É extremamente pouco provável virmos a ser atingidos por algo assim (a probabilidade é próxima de 0%, mas existe...), mas se um dia levarmos com uma coisa destas em cima, viramos uma torrada. :)

Tiago Rebelo disse...

:) Estava a ver o filme 2012 há pouco tempo e lembrei-me do tema das eurupções solares aqui no teu blog. Sei que nem tudo o que se faz no cinema traduz-se em verdade, mas será verdade aquilo? Pelo que entendi o sol começou por ter uma actividade muito acentuada o que resultou que os neutrinos começaram a atingir profundidades bastante profundas que fez despontar violentos sismos, chegando mesmo a fazer deslocar grandes camadas tectónicas como mostra o filme. A ser verdade uma situação como o filme mostra podemos estar condenados a qualquer momento :o ?

Carlos Capela disse...

Pá, não conheço o filme...

Mas parece-me pouco provável uma alteração "súbita" das condições de estabilidade solar, ao ponto de nos fritar...